Agricultores e poder público definem ações para microbacia em Tamarana

  Data da Publicação: 11/04/2018
Agricultores e poder público definem ações para microbacia em Tamarana

* Programa de microbacias é focado em recuperar e manter a capacidade produtiva dos recursos naturais (Comunicação/PMT)

Produtores rurais da microbacia conhecida como "Moreiras 2" se reuniram com representantes do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e da Prefeitura de Tamarana – além de vereadores do município – em uma consulta pública para definir quais iniciativas serão executadas na área por meio do Programa de Gestão de Solos e Água em Microbacias, do governo do Paraná.

A "Moreiras 2" é uma microbacia que abrange localidades como o Bairro dos Fabianos, Fazenda Cacique e parte do Bairro dos Moreiras, na zona rural de Tamarana. O encontro ocorreu no último dia cinco, no barracão comunitário da Vila Rural Octávio de Campos Lima.

Após debater as principais reivindicações da região, o grupo elencou quais delas podem ser atendidas pelo programa – que é focado em recuperar e manter a capacidade produtiva dos recursos naturais. Dessa maneira, a microbacia terá ações de conservação de solos; proteção de minas, nascentes e áreas verdes; distribuição de calcário; adequação de carreadores e implantação de fossas sépticas. O investimento pode chegar a R$ 210 mil, com contrapartida de 5% da prefeitura.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Emater e secretário-executivo do Grupo Gestor de Microbacias em Tamarana, Marcelo Campos, o instituto e a Secretaria de Agricultura do município realizaram um estudo preliminar sobre as necessidades da microbacia. "Temos uma parceria muito forte com a administração municipal nesse programa e já havíamos feito um levantamento prévio das demandas. Agora, conversamos com o pessoal para que eles identifiquem quais são os problemas prioritários de onde moram", explicou o profissional.

O secretário municipal de Agricultura, Fernando Macedo, observou, que apesar de duas microbacias de Tamarana já terem sido contempladas pelo programa de 2017 para cá, os recursos destinados para a primeira delas não puderam ser utilizados integralmente porque parte dos agricultores não foi até a Emater para dar continuidade ao processo de escolha dos produtos e serviços. "Dos R$ 210 mil da Microbacia Moreiras 1, só foram utilizados R$ 131 mil, que, inclusive, já estão em fase final de licitação. A gente pede aos agricultores que procurem o escritório local da Emater para ter acesso a esse crédito, que é a fundo perdido", afirmou Macedo.

Produtor rural no Bairro dos Moreiras há mais de 50 anos, Ednei Stein participou da consulta pública e fez avaliação positiva do projeto. Ele contou que, a partir de agora, irá reunir toda a documentação para dar prosseguimento à iniciativa. "Acho que o programa veio na hora certa. Vamos colocar tudo em ordem para aplicar bem o dinheiro público".

Conforme a Emater, cerca de 30 produtores rurais da Microbacia Moreiras 2 podem ser contemplados pelo projeto. "Quem se enquadra nos critérios do Pronaf [Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar] deve ir ao escritório da Emater até o fim de abril para que, com base nas decisões tomadas na consulta pública, a gente faça o cadastro no programa e a escolha dos produtos. Dá para fazer um bom trabalho para ajudar essas comunidades", declarou Marcelo Campos. A unidade local do instituto fica na Rua Arlindo Pereira de Araújo, 531, Centro. O telefone para mais informações é o 3398-1576.

 

Lucas Marcondes Araújo - Comunicação/PMT