Prefeitura Municipal de Tamarana | Depois de mutirão de limpeza, registro de focos de dengue em Tamarana cai para 0,8%

Depois de mutirão de limpeza, registro de focos de dengue em Tamarana cai para 0,8%

  Data da Publicação: 17/09/2018
Depois de mutirão de limpeza, registro de focos de dengue em Tamarana cai para 0,8%

* Apesar do baixo risco de infestação, Combate a Endemias alerta que população deve continuar atenta a possíveis criadouros do mosquito (Comunicação/PMT)

O último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) realizado em Tamarana pelos agentes municipais de combate a endemias apontou que a ocorrência de focos do mosquito transmissor da dengue está em 0,8%. O dado coloca a cidade em condição de baixo risco de incidência do vetor. No LIRAa anterior, em julho, esse número era de 1,3% – patamar considerado de médio risco.

Para o coordenador de Combate a Endemias do município, Guilherme Garcia, o mutirão de limpeza executado no fim de agosto por meio de parceria entre diferentes secretarias municipais contribuiu para a queda do percentual. "O trabalho conjunto feito pela Prefeitura de Tamarana colaborou para o índice abaixo de 1%, já que, muitas vezes, o morador tem material no quintal e não sabe qual destino dar", afirmou.

A atual amostragem ocorreu de três a seis de setembro. Durante o período, a inspeção esteve em 264 imóveis da área urbana e foram encontrados focos do Aedes aegypti em dois deles – um no Centro e outro no Residencial Cristo Rei.

Ainda assim, o combate ao mosquito que, além da dengue, transmite zika e chikungunya, deve ser constante, alertou o coordenador. "Pelo menos uma vez por semana, as pessoas precisam fazer uma limpeza tanto dentro quanto fora de casa, porque isso também ajuda a prevenir outros vetores, como baratas e escorpiões", acrescentou Guilherme Garcia.

Mutirão de limpeza – De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente do município, o mutirão de limpeza realizado na zona urbana de Tamarana resultou na retirada de 62 caminhões carregados de materiais diversos: 41 deles continham entulhos de construção, 19 estavam com galhos e resíduos semelhantes e outros dois transportaram 1.920 quilos de eletrônicos e similares. "Obtivemos um resultado satisfatório", resumiu o titular da pasta, José Carlos dos Santos.

Conforme o secretário de Meio Ambiente, os restos de construção, galhos e rejeitos semelhantes estão armazenados em local adequado. A intenção é, futuramente, utilizá-los na recomposição de áreas do município afetadas pela erosão. Já os eletrônicos se encontram no ponto de recolhimento administrado pelo órgão e, em outubro, serão encaminhados para organização que dá destino ambientalmente correto a esses materiais.

"Nós também vamos atender as duas vilas rurais com um mutirão de limpeza. Ainda não há uma data precisa, mas a ideia é marcar para o fim deste mês", adiantou José Carlos dos Santos.


Lucas Marcondes Araújo - Comunicação/PMT