Farmácias das UAPS do Centro e Jardim Juny passam a atender em nova escala

  Data da Publicação: 18/12/2019
Farmácias das UAPS do Centro e Jardim Juny passam a atender em nova escala

* Durante a manhã, as farmácias funcionam das 8h às 12h. Ao longo da tarde, das 13h às 17h | Foto: Pixabay

Devido ao fato de uma das profissionais do setor farmacêutico do município encontrar-se temporariamente afastada de suas funções para período de férias e de licença-maternidade, a Secretaria municipal de Saúde teve de realizar alterações na escala de atendimento ao público das farmácias das Unidades de Atenção Primária à Saúde (UAPS) do Centro (Plínio Pereira de Araújo) e do Jardim Juny (Padre Carmel Bezzina).

Desse modo, já a partir desta quinta-feira (19), as unidades passaram a atender nos seguintes dias e períodos:

  • UAPS do Centro: de segunda a quarta-feira, atendimento durante a tarde. Às quintas e sextas-feiras, atendimento o dia todo.
  • UAPS do Jardim Juny: atendimento de segunda a quarta-feira de manhã.

De manhã, o horário de funcionamento das duas farmácias é das 8h às 12h. Já ao longo da tarde, das 13h às 17h. As modificações foram previamente comunicadas ao Conselho Regional de Farmácia do Paraná (CRF-PR) e têm o aval do órgão.

Ranitidina – A Secretaria municipal de Saúde informa ainda que, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a importação da ranitidina, medicamentos feitos a partir desse insumo farmacêutico podem estar indisponíveis a partir dos próximos meses.

Em nota publicada em setembro – mês em que a suspensão ocorreu –, a Anvisa esclareceu que "a ação tem caráter cautelar e preventivo". Os medicamentos à base de ranitidina são empregados, por exemplo, para combater azia e úlceras estomacais. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária assegurou que pacientes que já utilizam o insumo não precisam interromper o tratamento.

A Secretaria municipal de Saúde ressalta que, como se trata de determinação oriunda de uma agência federal, a suspensão vale para todo o território nacional. Portanto, o município aguarda novos posicionamentos da Anvisa para, então, definir quais procedimentos irá adotar, já que a medida protetiva impede a aquisição de novos lotes que contenham o insumo.

Ao mesmo tempo, se não houver mudança nesse cenário, a secretaria já planeja incluir nas próximas licitações do setor de farmácia a aquisição de medicamentos de efeito similar no tratamento dessas doenças – e que não possuam ranitidina em sua composição –, garantindo, assim, que usuários da Saúde não sejam afetados.


Lucas Marcondes Araújo - Comunicação/PMT

* Atualizada às 14h45 e às 18h40 de 19/12/2019.